Grávida atropelada por retroescavadeira já dá primeiros passos


Cinco meses após o acidente com uma retroescavadeira, que culminou na morte do bebê e 40 dias internada no hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, Rayane, a grávida atropelada no mês de maio, deste ano, pela máquina, está reaprendendo a andar.

Segundo a fisioterapueta, Alba Lúcia, a paciente é muito dedicada e tem muita força de vontade.

Em entrevista à TV Paraíba, Rayane falou como foi acordar do coma. Ela disse que questionou os médicos o quê estava fazendo no hospital, e os familiares lhe informaram sobre o acidente.

Ela contou ainda que só se lembrou do dia, após ver a foto do ocorrido e a roupa que estava usando, porém do momento fatídico não se recorda.

A mulher se emocionou quando lembrou do número de pessoas que estiveram no Hemocentro para doar sangue para ela.

– Eu soube que tiveram que fechar o Hemocentro, porque não tinha mais bolsa para tanto sangue. Eu me sinto na obrigação de ser forte, porque não quero decepcionar essas pessoas que acreditam em mim – disse.

Ela ainda deixou um conselho:

– O conselho que eu dou é que para as pessoas não perderem tempo com besteiras e não gastar a vida inteira ocupada demais, não estando presente com os familiares, com que você ama. Porque de repente a vida passou e você não viveu – finalizou.

Redação com TV Paraíba

Previous NO FORNO: PB Agora/Datavox trará novos números da corrida na PB
Next Adolescente de 14 anos é esfaqueada em tentativa de assalto em JP

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *