“Ela morreu no sexo selvagem”, diz suspeito de estuprar e assassinar namorada


Reprodução/Mirror Durante audiência, o suspeito Mark Howerton, de 22 anos, alegou que "namorada morreu após 'sexo selvagem' que fizeram"

Policiais e médicos examinaram lesões no corpo de Cailey Mandadi, afirmando que jovem sofreu agressões físicas e sexuais; suspeito principal do crime, Mark Howerton se entregou à polícia, mas garante ser inocente

 

Homem acusado de estuprar e assassinar namorada diz que “garota morreu após ‘sexo selvagem’”. De acordo com informações do Mirror , Mark Howerton, de 22 anos, cometeu uma série de agressões contra a estudante Cayley Mandadi, de 19,  sendo considerado o principal suspeito por sua morte em outubro do ano passado.

Comparecendo ao tribunal na quinta-feira (2), Howerton discorreu sobre dados que trouxeram à tona as semanas violentas que antecederam a morte de sua namorada , encontrada sem vida dentro de um carro em Houston, Estados Unidos.

Policiais e médicos legistas examinaram lesões, expondo que a “líder de torcida da Universidade de Trinity sofreu agressões físicas e sexuais que não correspondem com a alegação do suspeito”.

Segundo a mídia norte-americana, amigos de Cayley também compareceram na audiência e contaram detalhes sobre o relacionamento tóxico entre o casal. Um deles afirma que a jovem aparecia com hematomas frequentemente e que já precisaram fugir do rapaz após tentativa de recuperar o celular da garota que ele havia escondido. “Mark sacou uma arma e ameaçou atirar, ele era extremamente agressivo”.

Audiência e depoimentos

Reprodução/Mirror
Estudante Cayley Mandadi, de 19 anos, foi encontrada sem vida dentro de um carro em Houston, nos Estados Unidos

Outras testemunhas presentes no local asseguraram terem visto Howerton agredir a adolescente, batendo sua cabeça contra o vidro do carro no estacionamento da faculdade onde ambos estudavam. A mesma pessoa ainda denunciou que, em setembro do ano passado, o rapaz invadiu o dormitório da estudante, destruindo todo o cômodo em um ataque de fúria.

Investigações policiais apontam que possível comportamento descontrolado do agressor tenha sido potencializado pelo uso contínuo de esteroides e anabolizantes. Advogado de defesa, Josh T Hunter argumentou dizendo que “Mark não matou Cayley e que conseguirá provar sua inocência em breve”. Ele ainda acrescentou que “o rapaz só se entregou para a polícia por ser uma pessoa boa e responsável”.

Mark Howerton deverá comparecer ao tribunal em data ainda não definida para prestação de esclarecimentos sobre morte da namorada. Não há previsão de próximos passos acerca do desfecho do crime.

Fonte: Último Segundo – iG 

Previous ONGs vão à PGR cobrar ação contra intervenção federal na segurança do RJ
Next Em área de grande risco, Canil da PM ataca centro de distribuição de drogas

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *