Efraim garante que decisão sobre vice de Azevedo será firmada próximo às convenções, mas quer pressa na escolha do 2º senador de RC


Presidido no Estado pelo ex senador Efraim Morais, o DEM, pode indicar o candidato a vice na chapa majoritária a ser encabeçada pelo ex secretário João Azevedo (PSB). No entanto, há menos de dois meses para as convenções que homologarão as chapas, o partido ainda “não bateu o martelo” no apoio a candidatura de João Azevedo. O partido quer pressa na escolha do 2º senador apoiado pelo governador Ricardo Coutinho (PSB).

O vice-presidente nacional do partido, Efraim Filho, garantiu em entrevista a Rádio Campina FM, que a decisão só terá tomada próximo das convenções. Efraim observou que processo ainda é de conversa e que não há pressa para esta definição, e sim com relação ao segundo nome na chapa para o Senado.

Nas entrelinhas, Efraim Filho, deixou transparecer que a tendência é que o partido suba mesmo no mesmo palanque de João Azevedo, mantendo assim, o apoio ao projeto encabeçado pelo governador Ricardo Coutinho (PSB), o argumento do DEM é reunir uma estratégia geopolítica, tendo representantes de várias regiões do Estado na majoritária, e a experiência política e capacidade articulista de Efraim Morais ao lado de João Azevedo.

– Com a capacidade técnica de João Azevedo, Efraim é o político com a capacidade de articulação e política e isso faz a diferença na composição da chapa e na campanha. São esses os argumentos que apresentamos, mas essa decisão é definida pelo governador Ricardo Coutinho e o conjunto de partidos do arco da aliança – disse.

Enfático, Efraim disse que a urgência no momento é a definição da segunda vaga ao Senado, tendo em vista que é preciso realizar toda a pré-campanha de apresentação do nome aos paraibanos.

– Não há perspectiva de a vaga de vice ser definida antes da vaga de Senado e deve ficar para meados da segunda quinzena de julho ou na primeira semana de agosto, que é quando se encerra o prazo das convenções partidárias – disse.

Com relação as investidas de segmentos do Partido dos Trabalhadores na Paraíba, em não querer apoiar o candidato de Ricardo Coutinho, devido a presença de partidos e políticos que consideram golpistas, Efraim disse que o PT continua fazendo a velha política de isolamento e intolerância e que o DEM tem sua estratégia voltada ao diálogo e em não apresentar veto a nenhum partido

– Queremos ultrapassar essa rinha de políticos intolerantes, mesmo quando o assunto é de interesse de todos. Queremos construir algo comum, então o DEM tem feito a política de agregar. Efraim Moraes traz esse equilíbrio na chapa, porque os eleitores do PT que votam em Ricardo já o fazem por conta do posicionamento do governador a favor de Dilma e Lula. E Efraim, representa setores da indústria, comércio, do agronegócio, serviços que querem também ser representados – defendeu.

Severino Lopes

PB Agora

Previous Projeto de lei quer mais clareza na certidão de nascimento
Next Mulher morre ferida com taça de vidro durante comemoração da vitória do Brasil

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *